História da Medalha

Postado em abr 4, 2012

Bom, estamos devendo alguns agradecimentos. Alguns deles conseguimos fazer  pessoalmente, mas queremos deixar registrados todos aqui, pois eles fazem parte da história dessa medalha. É comprido, mas tem fotos que ajudam a entreter. Estamos agradecendo aqueles todos que lembramos e temos certeza que esquecemos de alguém. Porque sozinho não se constroi nada, isso é o que a cerveja nos ensinou. Unidos somos sim capazes de mudar alguma coisa, e já mudou um bocado desde 2005 quando o Murilo começou a tomar cerveja na boa e saudosa Padoca em Santa Catarina.

Pré-início DUM

Tudo começou na linda e bela Ilha de Santa Catarina. Um lugar mágico, sem dúvidas. Em 2005, na Padoca, também conhecida como Panificadora Metrópole, o Murilo conheceu cervejas especiais: Eisenbahn, Colorado, Paulaner, dentre outras cervejas, tinha uma geladeira cheia. O Junior sempre trazendo coisas diferentes, ali começou a revolução cervejeira da DUM. Foi ali que Marco Zimmermann  deixou o Murilo entrar pra OPUS, a idéia de fazer cerveja em casa era toda dele.

Sadosa Padoca

Sadosa Padoca

Em setembro de 2007, foi proclamada a independência cervejeira em uma certa casa no Campeche. Nesse dia um sonho se concretizou, foi criada a OPUS C3 – Cervejaria Caseira do Campeche, mas para chegar ali os dois amigos, Marco Zimmermann e Murilo, tiveram a ajuda e incentivo de várias pessoas. E isso faz parte da nossa história. Unidos eles executaram muito bem e com a segunda cerveja eles conseguiram o segundo lugar no primeiro concurso da Eisenbahn.

Foto interna da Padoca com Marco Zimmermann

Foto interna da Padoca com Marco Zimmermann

A Eisenbahn é a uma cervejaria que vem revolucionando a muito tempo, inovou no berço da cultura germânica e a Eisenbahn 5 anos mostra bem isso. Quantos cervejeiros caseiros foram criados tomando Eisenbahn? Não sabemos ao certo, mas ela faz parte da nossa história também.

O Raphael Tonera deixava umas cervejas dele na Padoca e degustávamos na sexta à noite. Essas foram as primeiras cervejas caseiras que impressionaram. Comparando com os estilos comercias disponíveis na época, elas sempre ganhavam. Os horários do Tonera eram malucos na época, ele fazia cerveja na sexta durante o dia, trabalhava e estudava, então a gente não conseguia ver uma brassagem dele.

Então, o Marco passou um tempo a trabalho no Rio de Janeiro e conseguiu ver uma brassagem do Mauro Nogueira, da Confraria do Marquês. Anotou todo o checklist (panelas, válvulas, fogareiros, etc), e assim que voltou para Floripa, compraram as panelas e saiu a primeira brassagem da OPUS. Parece chato falar disso, mas é assim que tudo começou.

E existe uma lista infindável de cervejeiros caseiros que nos ajudaram de alguma forma. Filipe Costa da Sambaqui, Max Prujansky da Traíra, Rubens Deeke da Teckelbier, os irmãos Daniel e Diogo Ropelato da Drei Adler, enfim toda a galera que ajudou a fundar a ACervA SC.

Filipe Costa e sua primeira Sambaqui Ale na Padoca

Filipe Costa e sua primeira Sambaqui Ale na Padoca

E a gente mantém aquele espirito da brincadeira que existe entre os cervejeiros de Floripa. O importante é tomar cerveja dos amigos, a nossa nós tomamos em casa.

 

Padoca cheia prestigiando a visita do Mauro Nogueira

Padoca cheia prestigiando a visita do Mauro Nogueira

DUM

Para que a DUM conseguisse fazer as cervejas, que no fundo é o que interessa, teve um cara que foi muito especial, muito especial mesmo: Samuel Cavalcanti, nosso querido e estimado Bodinho. Ele cria esse sonho de cervejarias e medalhas, em todos a sua volta. O grande incentivador de todo o movimento curitibano, paranaense e, quiça, brasileiro. É só notar o tamanho da fila do estande deles em qualquer festival. Virou referência. Não tinha como ser diferente, o tripé cervejaria-escola-loja unidos a paixão do Samuel, contagia a todos.

A primeira vez que sonhamos na Petroleum ganhando uma medalha de ouro, ele estava junto. Aliás, foi ele quem disse isso. Sem o apoio dele, seria tudo muito mais difícil. Um exemplo simples: não temos estoque de insumos. Nós mandamos a receita por e-mail e depois passamos buscar o malte já separado e moído. O Samuel já escreveu o nome dele na nossa história e de muitos dos nossos amigos também.

Bodebrown medalha de ouro com a Wee Heavy no Mondial de la Bière

Bodebrown medalha de ouro com a Wee Heavy no Mondial de la Bière

Em Curitiba tem um movimento muito forte cervejerio graças a Bodebrown. Alguns exemplos: Junqueira e Fer da JunkaBeer e da Morada, os Tormenta Bia e Beetz, Rafael David da Moonshine, Ogre Beer que ganhou um dos concursos da Eisenbahn e por aí vai. A maioria eram pessoas que não sabiam nada de cerveja e em 6 meses já conheciam bastante coisa e com cervejas muito boas. Todo esse pessoal ajudou a desenvolver nossas receitas, sempre criticando de maneira positiva e ajudando melhorar nosso processo.

Toda a galera que comparece ao Parque Temático ajudando nas brassagens, tirando malte de panela, ajudando a limpar e, principalmente, nos incentivando a continuar. O nome Parque Temático foi criado por Eduardo Breda Zotto, um dos criadores da Diabólica e que se empolgou a fazer cerveja ao conhecer a OPUS. Um amigo que deu muitas dicas para nós do negócio cerveja.

Os donos de bares que sempre nos recebem muito bem, sempre podemos levar nossa cerveja. Até mesmo, porque eles não acham nada ruim. A gente desaparece às vezes, mas é pela correria da vida.

Uma fator que foi preponderante em pensarmos a abrir um brewpub, foi o incentivo de donos de cervejaria. Como do Marcelo Carneiro que desde o Festival da Cerveja de 2010, já dizia que a cerveja era boa e que devíamos seguir em frente. Mauricio da Schornstein, Juliano Mendes, só para citar alguns que também incentivam não só à nós, mas muitos cervejeiros por ai.

COMUNICAÇÃO VISUAL

A nossa comunicação visual é sempre comentada, por isso não poderíamos deixar eles de fora. Desde antes de a DUM receber um nome, o escritório de designer D-Lab esteve junto para desenvolver a melhor forma de expor as nossas ideias. A D-lab está a mais de 10 anos no mercado e seu trabalho muito provavelmente ajudou com que fossemos lembrados mais facilmente. O desenvolvedor de nosso site Márcio Sartor , e ninguem, sim ele realmente existe, é o responsável pelas as edições de nossos últimos vídeos e o motion graphics, também merecem a lembrança nesse momento oportuno.

VI ENCONTRO DOS CERVEJEIROS DE FLORIPA

Esse encontro foi diferente para nós. Nele, percebemos que nossa cerveja era boa mesmo, Paulo Schiaveto disse: “Faz essa receita no Samuel e mande para concursos, vale ouro”. Randy Mosher, também elogiou demais e disse que era esse o caminho. Todo mundo que provava ficava impressionado. Pena que tinhamos muitas poucas garrafas.

PÃO E CERVEJA

A entrevista que o Murilo deu para a Fabiana Arreguy foi sem dúvida um marco na nossa história. Naquele momento, percebemos que já não tinha como voltar atrás. A Petroleum tinha saído do nosso controle. Ela queria ganhar o mundo. No dia do Pão e Cerveja a Kud do Alencar Barbosa se ofereceu para fazer Petroleum lá, mas 250 litros por vez não iria secar a sede de todos.

WILIAM

Esse é um amigo em comum a pelo menos 15 anos. Ele começou com a DUM e por escolhas dele e de sua familia, resolveu sair quando vimos que algo maior deveria ser feito. Quando percebemos que deveríamos seguir em frente com o sonho, ele optou por sair e dedicar o pouco tempo que tem livre a sua família. Para quem não sabe o Wiliam é topografo da PETROBRAS e passa muito tempo fora de sua casa. Um motivo muito nobre que nem teve discussão e sempre iremos lembrá-lo de como somos gratos a ele. Tudo que esteve ao seu alcance foi feito pela DUM em nome de nossa amizade, algo que não se pode comprar.

 

Wiliam com seu pai e a medalha

Wiliam com seu pai e a medalha

WÄLS

Depois de mandar emails para algumas cervejarias perguntando por espaço, todas disseram que mais para frente talvez, mas não podiam garantir nada. Até que a Wäls fez o convite oficial e foi tudo uma loucura. O tempo passou muito rápido, muito rápido mesmo. No dia 21/01/2012 fizemos a primeira brassagem de Petroleum na Wäls, porque era a nossa última chance de fazer a cerveja em tempo de enviar para o South Beer Cup e era justamente quando a Wäls tinha a disponibilidade um tanque. Quando tomamos a primeira Wäls Petroleum ficamos extasiados. Ficou como tinha que ser e só comprovou o que já sabíamos, os caras são artistas. Desde o primeiro momento, a energia em torno de tudo aquilo, não tinha como dar errado. A recepção que os mineiros nos deram foi a melhor de todas. Esperamos um dia retribuir.

 

Foto oficial da parceria

Foto oficial da parceria

SOUTH BEER CUP

O dia 24 de março de 2012 ficou marcado na história da DUM e da Wäls, neste dia Wäls Petroleum recebeu uma medalha de ouro. A muito tempo a Wäls já merecia reconhecimento, e ele veio de forma bombástica. Ganhando ouro em um estilo leve (Pilsen) e em um estilo de peso (Imperial Stout). Provando que consegue trabalhar bem com seu equipamento. E para fechar com chave de ouro a Wäls Brut ganha ouro também na categoria especial. Depois deste último ouro, o prêmio do ano era deles. Realmente, foi o ano da Wäls.
E é com muito orgulho que prestigiamos esse sucesso, eles são merecedores, na verdade, muitas cervejarias são. Mas o momento é todo deles, não tem como negar. Eles vem construindo isso a anos, visite a Wäls que você vai entender o clima que existe lá dentro, uma equipe dedicada a fazer cerveja do mais alto nível.

E ter participado disso tudo, ter contribuido de alguma forma para eles conseguirem esse prêmio, é gratificante. Isso tudo nos inspira ainda mais a continuar trabalhando em montar uma cervejaria com o objetivo de fazer cerveja para o público.

 

Momento da Premiação - crédito: Cerveja Brasilis

Premiação – crédito: Cerveja Brasilis

Premiação

Premiação

Premiação

PÚBLICO

No fundo, tudo isso que foi feito até aqui foi por conta dos emails que recebemos toda semana para comprar Petroleum. Sem esses emails, estariamos tomando nossas cervejas bem tranquilos. Todos nós temos nossos trabalhos, que não tem nada haver com cerveja. A DUM hoje é um segundo trabalho para nós porque vocês estão pedindo sempre.

O retorno que temos durante Festivais sobre nossas cervejas sempre é incrível. Esse incentivo é que nos move. Por isso é que a Wäls está produzindo Petroleum. Essa é a grande verdade, a grande procura por ela é a principal causa de tudo isso estar acontecendo. Portanto, essa medalha é de vocês também. Sim, vocês nos escrevem, pedem quando encontram conosco. Por isso, levamos a medalha nos bares em Curitiba que vendem Wäls Petroleum, para todos aqueles que tiveram paciência pudessem curtir essa conquista.

E no dia 04/04/2012 , estaremos em São Paulo no Empório Alto dos Pinheiros para a Festa da Wäls em comemoração ao título de Melhor Cervejaria da América do Sul. Quem quiser nos conhecer pessoalmente, assim como o Tiago e o José Felipe da Wäls  é só aparecer.

Sempre fizemos cervejas para o nosso gosto e é o que continuaremos a fazer.

Muito obrigado pela paciência e vem mais por aí.

Comentários

  1. Alberto Basso disse:

    Parabéns sempre moçada!

  2. Murilo, é muito legal ter participado de tudo isso desde o início, ter tido o privilégio de provar a Petroleum caseira e agora poder comemorar junto !
    Parabéns, cara !
    Abração,

    Mauro.

  3. Jacques Bourdouxhe disse:

    Parabens os amigos da DUM
    Eu fiquei muito contente de saber que a Petroleum ganhou uma medalha de ouro numa competiçao altamente concorrida.
    Um grande abraço

    Jacques “Montfort”

  4. Ninguem disse:

    Fantástico! Sem palavras. Parabéns público à vocês!

    Um prazer poder tomar as Petroleums ontem no EAP acompanhado desse clima que só quem confia no que faz e respeita o que é feito pode criar!

    Vai DUM! Qual é a próxima?